Posso compartilhar o quarto ou a cama com o meu bebê?

Mãe e Bebê no Quarto

Recentemente, alguns especialistas recomendaram o compartilhamento de quartos sem o compartilhamento da cama a fim de reduzir o risco de síndrome da morte súbita do lactente (SMSL) e outras mortes relacionadas ao sono em bebês. No entanto, este ainda é um assunto complicado, tendo em vista as extremas oscilações de opinião divulgadas nas mídias científicas e populares.

Sabe-se que compartilhar a cama – ou seja, deixar o seu bebê dormir na mesma cama que você – é um hábito extremamente controverso. A maioria dos especialistas concorda que dormir perto do bebê é uma boa coisa a fazer, mas o compartilhamento de cama ainda não é plenamente recomendado. Aqueles que promovem esta atitude, dizem que ajuda o bebê a adormecer, que é mais prático na promoção da amamentação e que promove o vínculo entre pai/mãe e filho.

No entanto, não se tem dúvidas de que o compartilhamento de cama pode ser perigoso: as camas de adultos podem não ser seguras para bebês, os pais podem rolar sobre o bebê durante a noite e o bebê pode ficar preso entre o colchão e uma parede ou a cabeceira da cama.

Por isso, a melhor maneira de garantir a tranquilidade dos pais que desejam optar pelo compartilhamento de quartos (e não o uso de babás eletrônicas), deve ser o uso de berços de cabeceira ou berços usuais, garantindo que eles sejam mantidos em vigilância e em segurança, ao mesmo tempo.

No entanto, se você insiste compartilhar a cama, certifique-se de:

  • Nunca compartilhar a cama durante os primeiros 4 meses de vida de seu bebê, quando o risco de SMSL é maior;
  • Sempre colocar o seu bebê para dormir de costas;
  • Nunca compartilhar o ambiente de sono caso se trate de um móvel de superfície macia como um colchão d’água, sofá ou poltrona;
  • Verificar se a cabeceira da cama e o estribo não têm aberturas ou recortes que possam prender a cabeça do bebê;
  • Verificar se o colchão se encaixa perfeitamente na estrutura da cama, para que seu bebê não fique preso;
  • Usar apenas quantidades mínimas de roupa de cama e evitar travesseiros, cobertores e brinquedos;
  • Certificar-se de que a cabeça do bebê não está coberta por roupas de cama;
  • Nunca compartilhar a cama na presença de outras crianças;

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.